Dicas para andar de bicicleta com chuva ou com o tempo húmido

Andar de bicicleta e chuva são duas coisas que não combinam. É por isso que não é comum ver ciclistas quando está a chover e em oposição eles aparecem como caracóis assim que a chuva pára. No entanto, alguns são corajosos o suficiente para dizer: “É apenas água, não é radioativa!".  Outros, mal há uma aberta na tempestade, saltam para a bicicleta e pedalam em estradas e trilhos molhados como se não houvesse amanhã. Para estes casos, bem como para qualquer tipo de ciclistas, fizemos uma lista de uma série de dicas para ter em mente quando fores andar de bicicleta debaixo de chuva ou com o tempo húmido.

Prepara a tua bicicleta

Antes de te fazeres à estrada, usa um lubrificante, adequado para essas condições atmosféricas. É mais espesso, adere melhor à corrente e cria uma camada que a protege da chuva e mantém a corrente lubrificada durante mais tempo. Não uses lubrificante numa corrente suja. Depois de cada volta, lava a bicicleta para remover a sujidade e seca-a completamente para que a humidade não danifique a transmissão, parafusos e outras componentes da bicicleta. 

Tanto as luzes traseiras como dianteiras são essenciais em dias de chuva. Para maior visibilidade na estrada, podes colocar também uma luz na parte de trás do teu capacete e usar roupa refletora tal como o colete corta-vento Langkawi da Siroko. 

Quando andamos de bicicleta com chuva, a água vem tanto de cima como de baixo. Ainda por cima, a água é projetada das rodas e deixa-nos ainda mais molhados que a água que cai do céu. É por isso que deves certificar-te que a tua bicicleta está equipada com bons guarda-lamas que cobrem bem as rodas caso andes com regularidade debaixo de chuva ou em estradas molhadas. Caso não gostes de pedalar com chuva, um guarda-lamas para o selim (guarda-lamas de encaixe) ou  um guarda-lamas para a roda traseira são suficientes para evitar chegar a casa com o rabo encharcado e as costas todas sujas. 

Por último, mas não menos importante: diminui um pouco a pressão de ar do pneu de modo a teres maior aderência à estrada, uma vez que permite uma superfície de contacto maior entre o pneu e a estrada. Não libertes demasiado ar pois arriscas-te a furar o pneu com o aro, especialmente caso uses câmaras de ar (pneus comuns com a câmara de ar por dentro). Com pneus sem câmara de ar ou tubulares não corres esse risco. Simplesmente baixa a pressão de ar cerca de 20% em relação à pressão que usas normalmente em condições sem humidade para o teu peso. Uma nota: Nunca uses pneus novos em dias de chuva.

Tem atenção às marcas da estrada 

Mantém-te atento às marcas da estrada, passadeiras, ou outros sinais pintados à superfície da estrada.  Eles tornam-se bastante escorregadios em condições húmidas e caso de inclines demasiado vais acabar por cair da bicicleta. 

Presta especial atenção às tampas de esgoto e outras estruturas subterrâneas. Uma vez que elas são feitas de metal, tornam-se extremamente escorregadias, a tua roda pode mesmo ficar presa nelas e vais acabar projetado por cima do guiador.  

A calçada e as estradas pavimentadas são perigosas quando chove ou caso as pedras estejam ainda molhadas. 

Deves também ter atenção às folhas que caíram das árvores para a estrada. Elas são muito escorregadias quando estão molhadas e, uma vez que chove mais durante o outono e o inverno, isto é algo com que te vais de certeza deparar na tua rota.  

Sê muito cuidadoso com as poças de água porque se há água também há um buraco , uma cratera ou outro tipo de cavidade na estrada e nunca se sabe o quão grande ou profundo é. Pode ser uma simples poça ou a Fossa das Marianas. 

Se viveres numa zona em que não chove regularmente ou em que não tenha chovido durante muito tempo, tem muito cuidado caso vás andar de bicicleta durante a “primeira” chuva  ou quando começa a chover e tu já estás a pedalar. As estradas, especialmente aquelas muito movimentadas, estão cobertas de óleo, poeiras e sujidade que se transformam em autênticos recintos de patinagem quando aparecem os primeiros pingos de chuva. As estradas vão ficando cada vez mais limpas a cada dia de chuva, mas mesmo assim, deves ter sempre cuidado. 

Tem cuidado em bermas de estrada ou estradas com muita terra, como o cascalho ou areia. Em condições húmidas, todas estas pedrinhas se agarram aos pneus e podem causar furos. Isto não é um problema para pneus sem câmara de ar pois um selante repara facilmente furos tão pequenos, mas os pneus com câmara de ar vão começar a perder ar. Tenta evitar este tipo de bermas e estradas e opta por pneus de boa qualidade resistentes ou à prova de  furos, quer sejam eles com câmara de ar ou não.  

Travar ou fazer curvas em condições húmidas  

Andar de bicicleta em retas quando está a chover requer “apenas” um pouco mais de precaução. Uma especial atenção é necessária nas curvas: antes, durante e depois delas.

Primeiro que tudo, antecipa a travagem e trava cuidadosamente antes da curva. Os travões de disco são mais vantajosos em relação aos travões de aro em condições húmidas, mas continua a ser mais seguro ser cauteloso, travar com antecedência (especialmente se tiveres rodas de carbono) e no início apertares as manetes do travão gradualmente. Isto irá remover a sujidade e água que se acumula nos travões à superfície do aro e nos discos. Depois disso podes apertar as manetes com mais força, mas não em demasia (é por isso que deves travar antes da curva) pois podes bloquear a roda, derrapar e cair. Por falar nisso, a água desgasta tanto os calços dos travões de aro como as pastilhas dos travões de disco, por isso certifica-te que eles estão em boas condições e não chegaram ao limite definido pelo fabricante.

Ao fazer as curvas, não inclines a bicicleta como farias se a estrada estivesse seca, pois não sabes qual a aderência que terás à superfície. Algumas estradas têm mais aderência que outras, mas se experimentares mesmo no meio da curva, podes acabar por sentir a aderência na tua pele. Nunca traves com muita pressão numa curva porque derrapar e cair é praticamente garantido.   

Tem cuidado com o momento em que começas a pedalar depois de uma curva. Se começas a pedalar demasiado cedo, com a bicicleta ainda inclinada e com o teu peso não equilibrado, a roda traseira pode perder a tração e derrapar.  Espera até que a bicicleta esteja quase completamente direita antes de começares a pedalar e não te suportes nos pedais antes da bicicleta estar totalmente direita. 

Por fim, deixa-nos partilhar o conselho mais importante: Antes de saíres para a tua volta de bicicleta, pensa bem, consulta a previsão meteorológica e decide se vale a pena ir pedalar debaixo de chuva durante muitas horas,  especialmente se estiver frio. Os riscos ultrapassam claramente os benefícios. Talvez não queiras perder um dia de treino, mas esse dia de chuva pode significar que vais ficar doente durante uma semana ou ficares longe da bicicleta durante vários meses devido a um acidente.  Um simples rolo de treino de bicicleta em casa é uma óptima forma de treinar quando está a chover. E custa muito menos que o equipamento para o frio e à prova de água que terias que usar. 

Em qualquer caso, se seguires estas dicas, se estiveres equipado com a roupa de ciclismo adequada, a bicicleta estiver preparada para o tempo húmido, a previsão meteorológica disser que não vai chover muito  e as temperaturas estiverem acima dos 10º C, então vai em frente. O risco é reduzido, e um passeio  “chuvoso” com cuidado pode mesmo ser divertido e gratificante, especialmente quando chegas a casa, saltas para o chuveiro e bebes uma bebida quente.

← Volver al blog

También te puede interesar...